SMART-Eu e os Outros

Tags :

Category : SMART

Continuação da aula anterior.

Nas relações do “EU” com os “OUTROS” existe um lado positivo (+ força) e um lado negativo (- fragilidades)
Eu como bom animador desta sala tenho que examinar em várias dimensões.
As aulas não são um consultório, mas sim para providenciar ferramentas que ajudarão a procurar um caminho mais sensato.
Vou fazer um convite para fazerem três propósitos a serem concretizados até ao fim do ano baseado no SMART.

A - Considerações gerais:

É importante reflectirmos sobre o que queremos para a nossa vida e decidir se estamos dispostos/as a lutar por isso.

Se sim, então mãos à obra!

  • porque é que isso é importante para mim?
  • o que é que isso vai influenciar na minha vida e naqueles que comigo se relacionam?
  • quais as consequências positivas?
  • há consequências menos positivas que podem advir? - Se sim, como me preparar para eventuais insucessos?
  • a minha decisão implica a adesão/acordo/concordância de outras pessoas para vir a ser alcançado?
  • o que é que as outras pessoas envolvidas pensam da minha decisão?

B - Quanto aos objectivos SMART própriamente ditos:

S - É importante Especificar (SPECIFY) com a clareza possível o que quero transformar de intenção em realidade.

M - O objectivo idealizado deve ser mensurável (o que não consigo medir, não posso avaliar) (medir = MEASURE).

A - Se o objectivo envolver outras pessoas devo obter/negociar o seu ACORDO (AGREE) para alcançar o meu objectivo.

R - O objectivo deve ser REALISTA (REALISTIC). Não posso ir à pesca.../ Não posso ganhar o euromilhões se não jogar, etc. Devo definir objectivos desafiadores, difíceis mas não impossíveis.

T - O objectivo deve ter um tempo estipulado. Pode sofrer melhorias, ajustamentos, correcções. o objectivo pode ter etapas (dias, semanas, meses... e resultados associados a essas etapas, mas sempre um prazo de conclusão). (tempo de duração = TIME)

Não podemos ter simultâneamente, em realização, muitos objectivos, mas dois, três, ... até meia dúzia é razoável fazê-lo.

Se não começamos, nem que seja com um objectivo, então não podemos aspirar a ver os nossos objectivos SMART concretizados.